Página Inicial

NODULECTOMIA: O QUE É?

 É a retirada de nódulo benigno da mama.  Também descrita como exérese de nódulo mamário, tem o objetivo de retirar a lesão com o menor dano funcional e estético possível.
 
Figura 1 – Anatomia da mama e de suas drenagens linfáticas. À direita um típico nódulo benigno de mama após sua retirada.
 
 
Como é realizado?
 
 Faz-se um corte (incisão) na mama e abertura dos tecidos até que o cirurgião encontre a lesão. Ela é então pinçada e de forma cuidadosa separada do tecido mamário com auxílio de uma tesoura específica ou um bisturi elétrico. Retirado o nódulo, realiza-se uma hemostasia cuidadosa, isto é, eletrocoagulação dos vasos para interromper qualquer sangramento existente. Em seguida são realizados alguns pontos para aproximar os tecidos da mama, incluindo a pele.  
 
Figura 2 – Incisão periareolar para a realização da nodulectomia.
 
 
Quais são as diferentes incisões para a nodulectomia?
 
 De fato há uma infinidade de opções, que irão variar em relação ao tamanho do nódulo, sua localização e por fim ao volume total da mama. As incisões mais simples são realizadas sobre o nódulo, no entanto deixam a cicatriz mais aparente. Há uma preferência em incisões na borda da aréola fazendo-se um “túnel” abaixo da pele até se encontrar o nódulo. Desta forma consegue-se uma cicatriz mais discreta. Outras opções muito utilizadas são incisões no sulco mamário e na axila. Para tanto é necessário que a lesão esteja próximo à estas áreas.
 
Figura 3 – Exemplos de incisões para exérese de nódulo de mama. À esquerda no alto incisão sobre o nódulo. À direita no alto a marcação pré-operatória da incisão periareolar. Abaixo as incisões na axila, à esquerda, e no sulco mamário à direita.
 
 
Qual é a anestesia ideal para a sua realização?
 
 Sem dúvida aquela que permita a retirada da lesão com o menor desconforto possível. Portanto na maioria das vezes faz-se anestesia local, isto é, infundimos agentes anestésicos no local a ser incisado. A paciente permanece acordada e certamente pode ir para casa no mesmo dia. No entanto quando a lesão é muito volumosa ou quando se pretende retirar mais de um nódulo, a anestesia geral, aquela aonde o anestesista utiliza medicações venosas ou inalatórias para manter o paciente desacordado, pode ser a mais indicada. Sempre avaliamos caso-a-caso para escolher o tipo de anestesia nesta situação.
 
 
Quais são as complicações possíveis na cirurgia de exérese de nódulo mamário?
 
São incomuns! Incluem abertura de parte ou toda a cicatriz cirúrgica (deiscência), infecções locais e hematomas. Todas elas podem ser facilmente abordadas e resolvidas, contanto que o cirurgião seja logo comunicado. São causadas por fatores inerentes a cirurgia. Obviamente que o cuidado no pré e no intra-operatório minimizam sua ocorrência, que deve estar em torno de 5% das nodulectomias.
 
Figura 4 – Hematoma pós-cirúrgico. Evoluiu com reabsorção espontânea após 3 semanas.
 
 
Autor: Dr Rodrigo G. Brandão
 

Voltar

Visitas: 110554

© Copyright 2014 - Casa da Mama - Desenvolvido pela Agência de Sites Jundiaí